Lá vem a Nau Catrineta... que tem muito que contar...

20.5.06

Lá Vem a Nau Catrineta (73)


Lá vem a Nau Catrineta
que tem muito que contar
esta nau, diz o poeta
El-Rei a mandou armar
e de Rosa a fez zarpar
para uma nova demanda
é D. José quem comanda
a barquinha em alto mar
Dessa odisseia sem par
de loucos navegadores
ouvi agora senhores
outra história de pasmar

«A UNIÃO IBÉRICA COM UMA GRÁVIDA PELO MEIO»

Já o calor se sentia
no ar um cheirinho a Verão
no mastaréu o vigia
com a luneta na mão
procurava o galeão
do Capitão Zapatero
nosso hermano e compañero
homem de bom coração
que por ser um bacanão
concordara permitir
que as tugas fossem parir
à sua barca-nação

Na pobre da Catrineta
D. José o Capitão
houvera posto na alheta
com os tarecos na mão
o obstetra João
e a Joana enfermeira
e ainda a Dora parteira
sendo a tesúria a razão
"Paridelas aqui não
ide parir na espanhola
eu estou quase a pedir esmola
e mais teso que um cabrão!
"

Em gravidez avançada
a pobre da Conceição
uma maruja arraçada
que bulia no porão
companheira do Fernão
mestre ferreiro de bordo
homem forte, feio e gordo
via-se em grande aflição
orava a S. Sebastião
que abrisse o olho ao vigia
ou o puto 'inda nascia
ali no meio do chão

"Barco à vista, galeão!"
berrou a plenos pulmões
cheio de satisfação
o vigia Zé Simões
parecia que as orações
da maruja Conceição
haviam dado razão
à sua fé no santinho
"Aguenta rapazinho
que já saltas cá para fora
é só mais um quarto de hora
e viras bébé chorão!
"

Quando passado um bocado
mais a Nau se aproximou
o Simões ficou pasmado
com o que o seu olho topou
o galeão enxergou
-Hospital/Maternidade-
mas o que é certo e verdade
este o pavilhão baixou
e um outro levantou
sobre as velas desfraldadas
caveira e tíbias cruzadas
o q'uinda mais o espantou

D. José, o Capitão
assim que ouviu o vigia
apontou p'ró galeão
que a estibordo surgia
e superou a gritaria
do nosso amigo Simões:
"Às armas, tudo aos canhões
tragam toda a artilharia!!!
Zapatero, quem diria!?...
Corsário!!!... amigo da treta
queres guerra com a Catrineta?...
reza é à Virgem Maria

Vou-me à tua focinheira
que em oito dias seguidos
vais andar de caganeira
até perderes os sentidos!...
Ó meus bravos destemidos
mostrem-lhes quem a gente é
que nem um fique de pé
malhem forte nos bandidos!...
julgam que são atrevidos?...
já vão ver o que é um tuga
comem tantas na peúga
que ficam todos partidos!
"

Com os tugas prontos p'ró salto
de armas na mão gritando
ouviu-se um berro mais alto:
"Coño hombre, estás brincando?!...
me aces venir volando
como um loco sobre el mar
e ora mi quieres atacar?!!!...
pero...que está passando?!!!...
bueno és que bas hablando!
"
"Ai tu queres que eu vá falando
meu castelhano marado?
eu é que fui atacado
e é bom que vás explicando!
"

"Há aqui um mal-entendido
que eu posso explicar...
"
"D. Lino?!... eu estou perdido
já não sei o que pensar
faça o favor de falar
quero pôr ponto final
nesta cena surreal
que já me está a irritar!
"
"Então eu vou começar:
Isto teve início em Vigo
quando aqui o nosso amigo
ali me ouviu discursar


Sabe como é Capitão
o almoço era apurado
mamei meio garrafão
e fiquei bem aviado
não consegui estar calado
e...ó má sorte macaca
vá de dar corda à matraca
ficou o caldo entornado
como já estava embalado
com a pomada castelhana
-e que bem trepa a sacana-
desatei a cantar fado



Se a nossa língua e cultura
têm tanto em comum
achamos chegada a altura
de ambos sermos só um
andamos ao estaladum
vai p'ra novecentos anos
nós que até somos hermanos
paremos com o trinta e um
timterlim terlum tum tum
esta coisa é muito séria
viva o país da Ibéria
como ele não há nenhum!




"Ó seu cabeça de burro
seu piela desbocado
que rico tacho de esturro
fez você deste guizado...
"
"Atirem o marafado
do alto do mastaréu
lé bem pertinho do céu
caia no chão espatifado
e seja pontapeado
qual Vasconcelos no Paço
agarrem já o palhaço...
"
ouvia-se em todo o lado

"Alto e pára o bailarico
nem pensar em linchamento
aqui a este jerico
vou já dar-lhe o tratamento
p'ra já e neste momento
Zapatero, meu irmão
quero pedir-te perdão
desculpas p'lo contratempo
aproveita este bom vento
e regressa à tua Espanha
e aproveita, leva a prenha
qu'inda aqui tem o rebento!
"

"Capitão, espere um bocado
o espanhol pode zarpar
está parido e despachado
vê-de, já está a mamar
não se podendo aguentar
a pobre da Conceição
no meio da discussão
que estava ali p'ra durar
viu as águas rebentar
pôs-se de cócoras e... zás!...
pariu sózinha o rapaz
sem ter ninguém a ajudar!
"

"Ah, valente Conceição
rica ideia tenho em mente
vou poupar um dinheirão
assim que a levar em frente:
Fique a saber toda a gente
p'lo campo e p'la cidade
que blocos/maternidade
são coisas de antigamente
não acho a mulher diferente
da gata, rata ou cadela
quer parir?... problema dela
isso não é nada com a gente!
"

Fale aí em baixo ou cale-se para sempre

16 Comments:

At 09:58, Anonymous Mulher parideira cansada said...

Pobres "Conceições", aprenderão a ser parteiras e obstetras, quem sabe até cardiologistas e dispensar-se ão os médicos, centros de saúde, hospitais e afins. Afinal, pasta que vá para a saúde é mal gasta. Espanha que aguente connosco. Está divino, Zeca. Bom fim de semana.

 
At 10:27, Blogger RPM said...

Mais uma onda de Descobrimentos se adivinha..Desta feita no alto mar e com a Nau comandada por uma parteira...

Informe-se já o ministro da Saúde pq se ele sabe disto ainda transfere alguma unidades para alto mar por verificar que aí os custos de logística maternais são menores. Informe-se também Nela Ferreirinha Leites e Masques mendes

E depois sempre há aquele lado mais simbólico da coisas em dar à lux uma criancinha em-terra ou no alto-mar...

Não duvido que mulheres queiram entrar na história assim, de calças arregaçadas e levando com a marzia na testa podendo gabar-se depois aos familiares que deram à luz na proa da Nau e rompendo vagas de mais 30 metros sem enjoar.

Até já estou a imaginar o José António saraiva a coreografar esta cena... Dá para três programas no Canal Memória e ser mais um momento em que fazemos História em Portugal

O puto só poderá vir a ser um Poppey - the sailer-man Phu, Phu)))))

 
At 12:11, Blogger wind said...

Está excelente! Estas tuas "Naus catrinetas", com crítica e humor, são deliciosas e mito bem escritas. Acho e já aqui o screvi que devias editar um livro com os teus sub-temas:) beijos

 
At 13:03, Blogger contradicoes said...

Por o País muito estragar
recursos que não tinha
estamos agora a pagar
e maus ventos se adivinha

Com um abraço do Raul

 
At 18:12, Anonymous Anónimo said...

Muito bom.

Abraço,

 
At 19:36, Blogger Pilantra said...

Boa!
Uns nascem no alto mar, outros nascem em Espanha, outros morrem a trabalhar e as obras públicas e privadas encarregam-se da precaridade dos sobrantes!
Está claríssimo para mim: acaba inatamente o desemprego, o subsídio de desemprego, as reformas e aposentações.
E o emprego não se justificará dado que a produtividade dos mortos não é relevante.
Ordenados para quê?
Saúde, quem a precisa?
E as escolas só dão vícios!

Caramba! Acaba o deficit, acaba a crise, acaba-se até com a interioridade, a insularidade mais a natalidade e a longevidade e até com a centralização e a regionalização! Até o Alberto João vai na onda!

SIMPLEX, tá no papo!

Diz-me, Espelho Meu, haverá alguém no mundo que mereça mais o Nobel do que eu?

 
At 20:00, Blogger GNM said...

António,

Deixei-te um convite no
EXTRANUMERÁRIO e gostaria
imenso que aceitasses...

Excelente fim de semana!

 
At 23:25, Blogger luikki said...

e espanha aqui tão perto!

 
At 23:39, Anonymous jgonçalves said...

Será essa a razão, da marinha lusitana ter já uma capitã (ou tenente) a comandar uma nau por esses mares???

 
At 00:54, Blogger Francisca said...

Excepcional, Zeca:))
Do que esta nau prescindia, de bom grado, era da suinicultura governamental.
Mais impostos, menos serviços...e dizem que o dinheiro não chega mas baseiam a decisão com fundamentos técnicos?
Ou eles bebem muito ou acham que somos tão estúpidos como eles.

Um beijão.

 
At 10:01, Anonymous José Palmeiro said...

A melhor, a única Nau, desde os achamentos.
Força Zeca, neste mar encapelado.
José Palmeiro

 
At 11:03, Blogger magnolia said...

Como sempre, uma crítica sagaz e inteligente!
Gostaria que alterases o meu link, retirando o www, para que pudesses entrar no meu controlador da sidebar. Obrigada.

 
At 13:48, Anonymous Anónimo said...

Este episódio tal como os anteriores mantém o bom nível. Adorei.

Maria Melo

 
At 14:47, Blogger António said...

Mais um magnífico exemplar de poesia satírica!
A tua criatividade é vasta!

Um abraço

 
At 14:53, Blogger lobices said...

...um abração

 
At 11:31, Blogger Rui @t Blog said...

BRAVO, BRAVO ..... apludo de pé no cesto da gávea.
Excelente e extremamente divertido, embora numa abordagem a um assunto bem sério.

 

Enviar um comentário

<< Home